Retorno do Idoso ao Mercado de Trabalho

Retorno do Idoso ao Mercado de Trabalho

Publicado originalmente na Rádio Uerj – Centro de Tecnologia educacional – Programa IDOSO EM FOCO – TEMPORADA 6 – 2021

Por que idosos tem permanecido no mercado de trabalho. Entrevista realizada dia 24/05/2021 pela Apresentadora Diva Peres (Da Diva) e Aline Daflon.

ENTREVISTADA: Luci Azevedo Pereira, Diretora da PHC-Potencial Humano Consultoria

Principais razões para o retorno do Idoso ao Mercado de Trabalho

Pensar na Terceira Idade e o Mercado de Trabalho requer reflexões referentes à realidade em que vivemos hoje.

Se você é jovem, como imagina chegar nesta fase da vida? Como você imagina a vida de quem está nesta idade? E o Mercado de Trabalho, como será? Terei oportunidade de trabalhar numa atividade que me proporcione satisfação e felicidade ou terei que trabalhar para complementar minha aposentadoria?

Para começar, considerando o aumento da expectativa de vida do brasileiro, verificamos um número significativo de idosos que permanecem em suas profissões ou que optam por retornar às empresas em que trabalharam principalmente nas áreas de Medicina, Esporte, Turismo; etc…

Para o meio corporativo é um negócio bastante vantajoso pois, o investimento em Recursos Humanos é menor. A empresa evita o turnover e treinamento de novos funcionários. Já existem empresas no Brasil que oferecem vagas sem limite de idade. É o caso da Pizza Hut, com o Programa Atividade (que oferta vagas para atendente); do Bob’s com o Programa Melhor Idade e o Pão de Açúcar com o Programa da Terceira Idade, que já contratou mais de cem idosos.

No nível executivo vemos a possibilidade dos idosos poderem atuar como mentores. A vantagem da contratação de mentores é a possibilidade de crescimento mais acelerado da Empresa por contar com profissionais de sucesso e de expertise comprovada e que podem contribuir para o reforço da cultura da organização, aumentar o nível de performance e diminuir o turnover com a experiência do aprendizado.

Se por um lado o meio corporativo se beneficia, a pergunta que fazemos é porque o idoso está retornando ao trabalho.

Sabemos que várias são as razões para o idoso voltar a trabalhar, dentre elas a possibilidade de se manter ativo, evitar doenças como, por exemplo, o Alzheimer e a possibilidade de fazer algo produtivo, elevando assim seu ’moral’.

A expectativa de vida hoje no Brasil é de 76 anos, segundo dados do IBGE em suas últimas pesquisas.

Vários são fatores que contribuem para que o idoso retorne ao trabalho, além da disposição para se manter no mercado de trabalho, dar continuidade à sua carreira. São eles:

1.Ver o trabalho como fonte de satisfação;
2. Necessidade de se manter no trabalho devido à atual política de aposentadoria;
3.Possibilidade de complementar sua renda garantindo o sustento e padrão de vida de seus familiares;
4. Manutenção dos vínculos de amizade;

Como as Empresas podem se preparar para receber estes profissionais

As empresas devem estar atentas ao desenvolvimento destes idosos sempre investindo em políticas de Recursos Humanos como, por exemplo, no processo de treinamento. Uma das razões para o treinamento é o fato das tarefas não serem realizadas de forma automática e de preferência respeitando os interesses pessoais do idoso.É importante também respeitar a atividade que o colaborador exercerá, levando em consideração sua condição de saúde e a idade do mesmo.

Há por parte das empresas que contratam os idosos, uma oportunidade de crescimento para seu negócio. Por outro lado, os idosos ativos demonstram comprometimento e disponibilidade para o trabalho, além de serem uma mão de obra qualificada pois muitos já atuaram na Empresa por longo período de tempo, disponibilizando assim de amplo conhecimento.

Muitas empresas perceberam também, que a terceira idade é carismática e solícita com os clientes, gerando fidelização.

As organizações que disponibilizam vagas para idosos, passa a ser um ambiente de ensino/aprendizado, já que elas são capazes de aprimorar os talentos da terceira idade e também desenvolver novos, além de proporcionarem troca de experiências entre o colaborador idoso (que pode vir a se tornar um mentor) e aquele que acaba de ingressar no mercado de trabalho. Outro fator crucial é o fato de que, quando uma empresa não limita a idade do colaborador, ela quebra paradigmas e acaba se diferenciando da concorrência.

Os serviços de Coaching são uma excelente oportunidade para as Empresas que buscam ampliar seus negócios; melhorar sua performance e desenvolver as potencialidades desse perfil de colaborador. Esta metodologia auxilia as organizações na gestão de pessoas com maior eficiência além de impulsioná-las para o sucesso e identificação de talentos.

Desafios que o Idoso pode enfrentar no Mercado de Trabalho. Ainda há preconceito?

Com o desenvolvimento das políticas de Recursos Humanos as grandes empresas estão descortinando novos horizontes e a possibilidade de crescimento mais rápido com a contratação de profissionais idosos, mais experientes. Alguns idosos ainda experimentam sentimentos de angústia e preconceito quando buscam atender suas necessidades diante do mercado de trabalho.

No que tange aos desafios que o idoso pode enfrentar no mercado de trabalho podemos nos referir aos processos de orientação para aposentadoria e preparação para aposentadoria (processos estes bastante utilizados pelas empresas).

Um programa de preparação para aposentadoria possui como pressupostos que os participantes precisam ser educados para esse novo momento em suas vidas. Preparar significa planejar de antemão o caminho ou empreendimento de alguém. Também pode ser traduzido como educar, habilitar ou aplanar o caminho visando construir o cidadão do futuro.

A preparação para aposentadoria compreende a tomada da consciência ou reflexão, que consiste na busca de novos interesses para o aposentado, incentivando-o à descoberta de novas possibilidades e prevenção de conflitos que possam emergir. Nesse sentido, podemos dizer que estamos aumentando a longevidade, a qualidade de vida. Estamos, dessa forma, possibilitando uma maior harmonia emocional e, com isso, reduzindo a possibilidade de depressão e outras doenças decorrentes da falta de sentido de vida, de propósito, de metas a alcançar.

Aqui cabe citar a diferença entre a orientação para a aposentadoria e a preparação para aposentadoria, inclusive entre profissionais que lidam com processos de treinamento e desenvolvimento de pessoas.

Quando nos reportamos ao conceito de orientação, compreendemos que, seja qual for a atuação estabelecida, o orientador e orientando são igualmente responsáveis pela construção do processo pelo qual fazem parte. O êxito alcançado por meio dos resultados obtidos, dependerá das condições e competências de ambos, orientador e orientandos. É relevante identificar as necessidades e expectativas que produziram e o que os mobilizam no momento da aposentadoria. As pessoas ajudadas podem, em princípio, ser ou não capazes de resolver seus problemas. Perceber seus dilemas e dificuldades ajuda a superá-los de modo mais efetivo. A relação de ajuda fundamenta-se na ideia de “ajudar o outro a se ajudar”.

Preparação parte do princípio do planejamento e isso se torna uma alternativa para reduzir a ansiedade que é comum ocorrer quando as pessoas têm clareza das possíveis consequências da aposentadoria e esboçam planos para seu futuro.

Programas de orientação e preparação constituem, por princípio, ações privilegiadas para tal. O fato de deixar o mundo do trabalho sem que ocorra qualquer tipo de planejamento ou elaboração por meio de orientações fundamentadas em relações de ajuda úteis, em geral, explicam as dúvidas e as angústias que os aposentados experimentam nessa etapa de suas vidas.

O trabalhador que passou parte expressiva de sua vida tendo o trabalho como prioritário deixou por muito tempo adormecidos outros espaços relevantes de sua vida pessoal e social. Diante do dilema de natureza existencial, a possibilidade de receber por meio de orientação emancipatória, dialógica, apreciativa e reflexiva, faz-se necessária e é fundamental para a promoção da saúde física e psíquica do aposentado.

Ouça o episódio completo abaixo.

 

Luci Pereira
Diretora do Blog

Luci Pereira

CRP 05/4475. Mestre em Psicologia Social; Pós-Graduada em Recursos Humanos; Psicóloga; Dinamicista; Psicodramatista e Coach. Consultora de organizações públicas e privadas de médio e grande porte, nacionais e multinacionais com atuação no planejamento e execução de programas de treinamento e desenvolvimento de pessoas, elaboração de projetos de consultoria voltados para pesquisas e comportamento organizacional como subsídio para formulação de políticas e/ou planejamento dos sistemas técnicos de RH, orientação vocacional e profissional, coaching e mentoring.Participação como palestrante em congresso nacional de Psicodrama. Consultora DISC E-TALENT.

Adicionar comentário

* Complete todos os campos corretamente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicações relacionadas